VASCULITE CUTANEA DE CURSO AGRESSIVO EM LUPUS ERITEMATOSO SISTEMICO: RELATO DE CASO

VASCULITE CUTANEA DE CURSO AGRESSIVO EM LUPUS ERITEMATOSO SISTEMICO: RELATO DE CASO

S206 r e v b r a s r e u m a t o l . 2 0 1 7;5 7(S 1):S139–S207 2. Yanileydys HM, Yanet CG, Halie M. Infección por Herpes Zoster en una paciente con...

49KB Sizes 0 Downloads 126 Views

S206

r e v b r a s r e u m a t o l . 2 0 1 7;5 7(S 1):S139–S207

2. Yanileydys HM, Yanet CG, Halie M. Infección por Herpes Zoster en una paciente con Lupus Eritematoso Sistémico. Revista Cubana de Reumatología. 2011;13:17–8. 3. Ferreira JCOAI. Infecc¸ão por herpes zoster em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico juvenil [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2016.

http://dx.doi.org/10.1016/j.rbr.2017.07.236 PO344 VASCULITE CUTANEA DE CURSO AGRESSIVO EM LUPUS ERITEMATOSO SISTEMICO: RELATO DE CASO N.D. Linhares, T.A. Rodrigues, M. Pimenta, A.C. Ximenes, F.M.G.P. Oliveira, E.F. Taveira, C.M. Rassi, R.M. Guedes Hospital Geral de Goiânia - Hospital Alberto Rassi (HGG), Goiânia, GO, Brasil Introduc¸ão: Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doenc¸a autoimune com uma variedade de manifestac¸ões clínicas e sorológicas que afeta vários órgãos, enquanto as vasculites são caracterizadas pela presenc¸a de infiltrado inflamatório e subsequente necrose da parede dos vasos. A vasculite está associada à morbimortalidade em pacientes com LES. Descric¸ão do caso: LMSB, mulher, 22 anos, branca, admitida com poliartralgia e cianose de quirodáctilos, procurou auxilio médico primário onde os exames laboratoriais mostravam plaquetopenia sendo então encaminhada ao servic¸o terciário para investigac¸ão. No interrogatório sintomatológico referia queda de cabelo, úlceras orais e fotossensibilidade. Ao exame físico apresenta cianose fixa em quinta falange distal de mão direita e em pododáctilos evoluindo em 20 dias com necrose de pododáctilos e das falanges distais de alguns quirodáctilos. Os exames laboratoriais mostravam plaquetopenia, anemia hemolítica, FAN 1/1280 padrão nuclear pontilhado grosso e 1/160 nuclear homogêneo, alem de anti RNP, anti Ro, anti La e anti DNA reagentes. Anca negativos e antifosfolípides não reagentes. Com história clínica e exames laboratoriais foi realizado o diagnóstico de LES com vasculite cutânea. Realizado pulsoterapia na internac¸ão com metilprednisolona e ciclofosfamida, além de amputac¸ão dos pododáctilos e das falanges distais das mãos. Segue em tratamento com corticoesteroides e imunossupressores. Discussão: A prevalência de vasculite em lúpus varia de 11% a 36%. Os episódios de vasculite geralmente ocorrem com sintomas constitucionais como febre, fatiga e perda de peso, podendo se apresentar de forma cutânea e sistêmica. As formas mais comuns de vasculite cutânea em lúpus são púrpura palpável, petéquias, lesões papulonodulares, livedo reticular, placas eritematosas, eritema com necrose, paniculite e úlceras superficiais, revelando que a evoluc¸ão agressiva descrita no caso não é frequente. O histopatológico se apresenta como uma vasculite de pequenos vasos tipo leucocitoclástica e o tratamento se faz com corticoesteroides e imunossupressores.

refer ê ncias

1. Ramos-Casals M, Nardi N, Lagrutta M, Brito-Zerón P, Bové A, Delgado G, et al. Vasculitis in Systemic Lupus Erythematosus: Prevalence and Clinical Characteristics in 670 Patients. Medicine (Baltimore). 2006;85:95–104. 2. Barile-Fabris L, Hernández-Cabrera MF, Barragan-Garfias JA. Vasculitis in Systemic Lupus Erythematosus. Curr Rheumatol Rep. 2014;16:440. 3. Calamia KT, Balabanova M. Vasculitis in Systemic Lupus Erythematosis. Clinics in Dermatology Y. 2004;22:148–56. 4. Kumar N, Choudhary N, Agarwal G, Rizvi G, Kaul B, Ahlawat R. Extensive Medium-Vessel Vasculitis With SLE An Unusual Association. J Clin Rheumatol. 2007;13:140–2. 5. Sharma A, Gopalakrishan D, Nada R, Kumar S, Dogra S, Aggarwal MM, et al. Uncommon presentations of primary systemic necrotizing vasculitides: the Great Masquerades. Int J Rheum Dis. 2014;17:562–72.

http://dx.doi.org/10.1016/j.rbr.2017.07.237 PO345 VASCULITE DE ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA ASSOCIADA A AFASIA GLOBAL SÚBITA COMO MANIFESTAC¸ÃO PRECOCE DO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO: RELATO DE CASO D. Scherer, J. Silvatti, L.H.L. Silva, E.T.R. Neto Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP, Brasil Palavras-chave: Lúpus Eritematoso Sistêmico; Vasculite; Acidente Vascular Encefálico Introduc¸ão: Os eventos cerebrovasculares representam cerca de 10-15% das causas de óbito no lúpus eritematoso sistêmico (LES), sendo o acidente vascular encefálico isquêmico (AVEI) uma das manifestac¸ões neurológicas da doenc¸a. Ocorre por aterosclerose acelerada, trombose associada à síndrome do anticorpo antifosfolípide (SAAF) ou mais raramente por vasculite do sistema nervoso central (SNC). Apresentamos um caso de AVEI de artéria cerebral média (ACM) como manifestac¸ão inflamatória rara do LES. Descric¸ão do caso: Paciente do gênero feminino, 27 anos, portadora de LES diagnosticado há seis meses (poliartralgia inflamatória, rash malar, fotossensibilidade, plaquetopenia, FAN + , anticorpo anticoagulante lúpico e anticardiolipina negativos) em uso diário de azatioprina 100 mg, hidroxicloroquina 400 mg e prednisona 40 mg, foi admitida por história de afasia global súbita há quatro dias e antecedente de amaurose fugaz em olho esquerdo há 15 dias com reversão espontânea. Exames realizados na internac¸ão mostraram C2 e CH100 consumidos, anticorpo anti-P-ribossomal positivo e VHS/PCR normais. Angiotomografia de crânio revelou hipodensidade fronto-temporo-parietal esquerda em cunha e sinais de vasculite em ACM esquerda e seus ramos com espessamento parietal. Angioressonância confirmou tais achados. Ecocardiograma transtorácico e transesofágico, análise de líquido cefalorraquidiano e doppler de carótidas foram normais. Iniciada pulsoterapia com metilprednisolona 1 g por três dias e ciclofosfamida 1 g mensal com recuperac¸ão neurológica par-